Andar a cavalo

Por Ivan Di Simoni

Você acha ok montar em um cavalo? Será que a gente é pesado demais pra ele? Me peguei pensando nisso e resolvi pesquisar. Prepare-se para uma grande polêmica.

Hoje eu vou falar sobre um assunto que deixa muita gente em dúvida. Por que é errado montar num cavalo?

Primeiro, vou responder se “andar a cavalo é vegano?” e depois a gente pensa junto se é cruel ou não andar a cavalo.

Olha, de forma bem abrangente, o veganismo é sobre se opor ao uso dos animais para ganhos pessoais da maneira que for.

Se a gente olhar, é evidente que cavalos não precisam ser cavalgados, muito menos em atividades como rodeios, bastante populares no Brasil e que não só machucam o animal como o coloca em um ambiente totalmente estressante para ele. Cavalgar é o tipo de coisa que só é bom para o cavaleiro e isso é usar os animais como entretenimento, o que obviamente não é vegano.

Esse assunto gera polêmica por que muita gente fala que cavalgar traz benefícios pro cavalo. Um deles é que os cavalos domesticados precisam de exercício. A resposta mais simples pra isso é que o seu cachorro também precisa, (espero que tenha um) mas você não sai por aí montado no seu cachorro não é mesmo?

Essas pessoas também falam que cavalgar enriquece o ambiente do cavalo. De novo, isso pode facilmente ser resolvido sem montar. Faz assim, fecha os olhos e imagina a pessoa caminhando ao lado do cavalo. Isso é um equino feliz.

Um terceiro argumento vem de várias maneiras, mas sempre começa com um “mas meu cavalo adora…” e termina com: ser cavalgado, ir a shows, usar uma sela, uma rédea, cavalgar pelos obstáculos, ou qualquer outra coisa.

Aqui quero te falar uma coisa. A dor que os cavalos sentem é indescritível, por isso é que eles obedecem. Porque eles evoluíram para não gritar de dor. Na natureza, os cavalos não recebem ajuda de ninguém, não comunicam suas dores. Até porque demonstrar dor é um aviso aos predadores de que ali tem uma presa fácil. Daí nós vemos aquelas situações de cavalos que puxam charretes nas praças caírem duros de repente, sem ter dado nenhum sinal de mal estar.

De qualquer forma, talvez existam alguns cavalos que gostam de ser cavalgados. Mas qual o impacto disso para os seus corpos? Vamos dar uma olhada rápida no impacto que a montaria causa nos cavalos.

Vou começar com a estrutura do esqueleto. Tem um ditado que diz que um cavalo está pronto para ser cavalgado quando os “joelhos fecham”. Isso se refere a esperar a placa epifisária acima dos joelhos mudar de cartilagem para osso. O que as pessoas não se dão conta é que há uma placa epifisária, que é uma placa do crescimento, nas duas pontas de vários ossos, e em alguns deles existem muitas placas epifisárias.

“ Existe um tempo exato da transformação dessas placas em ossos nos cavalos. Enquanto muitas pessoas cavalgam o animal a partir dos 2 anos, os estudos mostram que as últimas placas a solidificar são da coluna vertebral, e isso não ocorre antes de o cavalo ter ao menos cinco anos e meio, sendo que nos grandes machos demora ainda mais. O tempo total para a formação completa das placas epifisárias, ou cartilagens, não ocorre até que tenham (em média) entre 6 e 9 anos de idade. O resumo disso tudo é que é incrivelmente fácil danificar as costas de um cavalo e deslocar suas placas epifisárias vertebrais, causando dor e danos permanentes.

Além da questão da formação das placas, andar num cavalo de qualquer idade causa dano no esqueleto, músculos e tecidos. O lombo do cavalo não é assento, não foi feito pra sua bunda. É uma estrutura anatômica complexa e delicada com funções extraordinárias.

Além das óbvias funções biomecânicas, as costas têm outra função muito importante. A função da espinha dorsal é garantir que as respostas de todo o sistema nervoso consigam comunicar os sentidos de sabor, cheiro, visão audição e função vestibular ao cérebro, isso para não entrar em mais detalhes. E aí, nesse órgão que é muito vulnerável e sensível, na medula espinhal, o “cérebro” das costas, é que senta um um cara de 80 quilos?

Num estudo de 2007, dos 295 cavalos considerados fisicamente sadios em um exame inicial, 91,5% foram diagnosticados com algum tipo de alteração dos processos espinhais após raio-X. Quase todos os processos na espinha, na posição da cauda equina, foram afetados. Na cavalgada, o dano espinhal causado só pelo peso é agravado pelo uso de selas, arreio, freios, chicotes e até espora. As selas restringem o fluxo sanguíneo do cavalo causando danos ao tecido, além de machucados.

Mas nada é mais cruel que o uso de freios, chicotes e esporas, que eu vou falar muito rapidamente. Freios causam dor e danos aos complexos nervos do crânio, assim como aos dentes, língua e palato. Nervos faciais são extremamente próximos da pele e por isso muito sensíveis. É fundamental entender que é absolutamente impossível usar um freio sem que o cavalo sinta dor. Fora que ele não consegue engolir a saliva e isso causa vários danos ao seu estômago.

E pro texto não ficar mais longo eu vou dizer somente isso sobre o chicote: é um chicote! Se você não é adepto de sadomasoquismo, vai concordar comigo que não é legal.

Mas antes de terminar, lembre que sempre tem aquele povo que manda um “Ah, mas não dá substituir cavalo no trabalho rural.” Pra essa gente indico logo uma matéria do Hypiness sobre o projeto que substitui cavalos por veículos feitos de lata. Adivinha qual é o nome do projeto?! Cavalo de Lata. Os cavalos que puxam as carroças que carregam lixo para reciclagem dão lugar à uma espécie de bicicleta totalmente elétrica, preparada para suportar grandes cargas. Essa iniciativa, além de proteger os animais que são explorados, também traz mais segurança para o trânsito.

Bom, isso tudo é uma parte pequena de todo o problema envolvendo os cavalos. Eu nem abordei a prática de domar cavalos, corridas de cavalos, rodeios que só em 2017 foram 908 de competição no Brasil. Sobre esses outros tópicos eu falo em uma outra redação.

Agora se você ama cavalos e gostaria de ter algum contato com eles busque ajudar um santuário que resgata cavalos e pede pra ir lá ajudar. Dá pra amar os cavalos da forma correta. Sem exploração. Só amor.

CONHEÇA O ♥ MANUAL VEGANO

Para leitores conscientes.